segunda-feira, 21 de agosto de 2017

O que Jesus quis dizer ao identificar-se como EU SOU em João 8.58?

Por Sandro Moraes 
Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se.
Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinquenta anos, e viste Abraão?
Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.
Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou (João 8:56-59).


Alguns textos da Bíblia descrevem Deus como pura realidade. Significa que aquilo que é não tem potencial para a não-existência, nem para a mudança. Deus é pura existência. Em Êxodo 3.13 Moisés pergunta o nome de Deus, no que recebe a seguinte resposta: "E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós" (Ex 3.14). Essa passagem mostra Deus em puro estado de EU SOU. Deus usa o verbo "ser" no presente. A existência de Deus é sempre, eterna e imutavelmente presente. Ele não foi ou será; Deus é auto-existente e eterno. 


Auto-existência na teologia é a ideia de algo que existe de si e em si mesmo,  independente de qualquer outra coisa. Deus não é auto-criado; para criar a si mesmo deveria existir antes de existir. Existir e não-existir, ser e não-ser simultaneamente é ilógico. Deus também não é auto-causado, posto que o efeito (Deus) não poderia ser anterior a sua causa. Um ser auto-existente não é um ser auto-causado. Um ser auto-existente é um ser não-causado. Deus é um ser necessário, ou seja, não pode inexistir, mas de cuja existência tudo o mais depende para existir.  Esses conceitos metafísicos estão implícitos no cristianismo desde tempos antigos.  

No tocante à expressão 'EU SOU O QUE SOU", o comentarista do Antigo Testamento, Alan Cole diz que essa cláusula expressiva é uma referência ao nome YHWH, o nome de Javé, em geral traduzido por Senhor no AT. Considera-se que YHWH (JAVÉ) seja uma contração ou redução da frase inteira EU SOU O QUE SOU.

Quando em João 8.58 Jesus diz: "... antes que Abraão existisse, eu sou", com essa declaração Ele não apenas afirmou sua existência anterior a de Abraão, como enfatiza sua igualdade com o "EU SOU" de Êxodo 3.14. A identificação que Deus dá a Moisés, Jesus aplica a si mesmo. Ficou tão claro para os circunstantes o que Jesus tencionava que os judeus queriam apedrejá-lo. Eles interpretaram que Cristo estava identificando-se como Yahweh e queriam matá-lo porque entenderam que Jesus praticou blasfêmia.  

"Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo" (Jo 10.33).

Curioso é como o texto do Evangelho de João 8.58 aparece na Tradução do Novo Mundo das Testemunhas de Jeová. A expressão no grego original ego eimi, cuja tradução correta é "Eu sou", aparece na tradução da Sociedade Torre de Vigia como "eu já existia". O versículo completo fica assim: Jesus lhes disse: “Digo-lhes com toda a certeza: Antes de Abraão vir à existência, eu já existia.” Vários eruditos e peritos em grego já observaram que não há justificativa para traduzir ego eimi em João 8.58 como "eu já existia". A tradução correta é "Eu sou", dizem eles. Os termos ­ego eimi são encontrados em outras passagens do Novo Testamento e sendo corretamente traduzidos pela tradução da STV (Jo 4.26; 6.35,48,51; 8.12,24,28; 10.7,11,14; 11.25; 14.6; 15.1,5; 18.5,6,8). Somente em João 8.58 a Tradução do Novo Mundo da Bíblia Sagrada faz a tradução errada. É fácil entender a razão. Já que a STV nega a doutrina da Trindade, a versão diferente de ego eimi é uma estratégia para apenas dizer que Jesus pré-existia antes de Abraão e evitar a associação que Jesus faz de si próprio com Yahweh (Javé), o EU SOU, que se apresentou a Moisés. EU SOU, o auto-existente,  aquele que nunca veio à existência, nunca passou a existir, porém sempre existiu desde eternamente.

 

Bibliografia recomendada

1 - Defendendo sua Fé: Uma Introdução à Apologética - R.C.Sproul

2 - Resposta às Seitas: Um manual popular sobre as interpretações equivocadas das seitas - Norman Geisler; Ron Rhodes

3 - Teologia Sistemática - Norman Geisler; Vol. 1

Nenhum comentário: