segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Fé: uma realidade banalizada ou incompreendida?


“Eu tenho fé [em Deus]” ou “eu sou uma pessoa de fé”. Embora sejam frases comuns de serem ouvidas no cotidiano, a ausência de frutos espirituais ou mesmo transformações no caráter e conduta de muitos que afirmam ter fé demonstram ter ocorrido uma banalização daquilo que é a porta de entrada de todos os benefícios de Cristo iniciados com a salvação. Banalização que talvez explique porque na atualidade são incontáveis as experiências insatisfatórias no campo da fé que têm gerado nos últimos anos um movimento social crescente no Brasil: o movimento dos sem igreja. Se a palavra de Deus nos diz que ‘sem fé é impossível agradar a Deus’ (Hb 11.6), é fundamental entendermos o que é a fé, sobretudo quando modernamente existem muitos conceitos acerca dela que, se devidamente analisados, revelam não ser bíblicos. Vale fazer uma alusão a A.W. Tozer quando dizia que a presença ou ausência da fé define o nosso céu ou o nosso inferno, levando-nos a compreender porque na vida de uma quantidade considerável de pessoas, a transição de uma vida marcada pela falta de fé para uma experiência de fé não produz nenhuma diferença significativa.

Antes de começarmos a entender o que é a fé, é saudável desmistificar primeiramente algumas noções equivocadas. Fé não é uma fuga da realidade ou de responsabilidades como muitos demonstram em suas atitudes, nem abrigo de fraquezas ou incertezas. Não é puro otimismo, emocionalismo, surto, nem se alicerça nos sentidos humanos. Igualmente, não é uma força mágica que cria a realidade, elaboração intelectual ou filosófica, fé do tipo de Deus, fé na fé. Nada disso! Aliás, o último tipo existe apenas quando tudo é favorável, contudo desmascara-se, revela-se efêmero, quando confrontado com as circunstâncias adversas não contornáveis da realidade.

Mas o que a Bíblia diz sobre a Fé?

“Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos” (Hb 11.1)

Segundo A.W. Tozer: “A verdadeira fé se apóia no caráter de Deus e não pede outras provas além das perfeições morais daquele que não pode mentir”. Declaração que se coaduna perfeitamente com as palavras do apóstolo Paulo quando diz: “Seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso” (Romano 3.4).

Ao homem, cuja existência comumente se baseia na mentira e, por isso mesmo, não pode construir um fundamento seguro pelo esforço próprio, resta-lhe confiar naquele que, por sua natureza e essência, jamais poderia mentir pois é a Verdade.

Significa que se Deus declara me amar e promete que cuidará de mim sempre, está profundamente interessado e envolvido em minha vida, eu não tenho razões para duvidar, porque em fazendo isto, estou chamando-o de mentiroso. Portanto, como disse James Kok, “fé é a capacidade de confiar em Deus quando nada faz sentido”. Se Deus disse, creio e continuo crendo, persevero em esperança, contra tudo e todos, contra todas as lógicas humanas, simplesmente porque Deus disse. A minha luta para entender a situação racionalmente cessa onde prevalece o "eu creio Senhor e confio em Ti". Por isso mesmo a fé é um absurdo, uma loucura para o homem natural. Somos loucos de Deus quando a fé genuína habita o nosso ser. Aleluia.

É imprescindível deixarmos Deus ser Deus em nossa vida. É quando descansamos em suas promessas, deixando o nosso ego de lado, agindo conforme a vontade dEle. E se tentarmos oferecer uma solução carnal para 'ajudar' a Deus e acelerar o cumprimento das promessas, caímos em pecado. Abraão, o pai da fé, foi anteriormente um exemplo de ausência de fé, quando tentou dar uma ‘ajudinha’ pra Deus. O resultado é um desastre até hoje entre árabes e judeus: Ismael.

Quando teve paciência e esperou o cumprimento da promessa dentro do tempo e propósito divino, foi abençoado com o filho da promessa, por meio de quem viria uma grande nação: Isaac. Abraão também foi exemplo de fé porque creu na ressurreição antes que alguém ressuscitasse. Por isso levou o “filho da promessa” para ser imolado em obediência a ordem soberana de Deus, crendo que o Senhor o ressuscitaria. Se cremos na ressurreição dos mortos, não temos razões adicionais para duvidar. E se crer é obedecer, conforme o modelo de Abraão, precisamos sempre ajustar a nossa vontade a vontade de Deus, submetendo-nos ao senhorio de Cristo. Do contrário, não há fé verdadeira. E Deus só concede fé ao coração obediente, e obediência sempre começa com arrependimento. Viver sem fé é pecado, razão pela qual as Escrituras declaram quatro vezes que o justo viverá pela fé.

Que a nossa fé seja um estilo de vida, a capacidade de viver em meio às tsunamis da existência, sempre cultivada, testada e centrada em Deus.

Que seja conforme as palavras de Ron Dunn, para quem a fé é afirmação, ação e atitude: “Fé é o nosso ‘Amém’ para tudo o que Deus revelou sobre Ele”.

O preço da fé é andar de acordo com a vontade de Deus, uma experiência que abre as janelas para os impossíveis, impensáveis e inusitados.


Por Sandro Moraes


























3 comentários:

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

Prezado irmão Sandro, uma alegria conhecer seu blog. O Eterno resplandeça o rosto Dele sobre ti e toda a sua família.

Medite no Sl 36.8,9

Nele, Pr Marcelo

Visite>> http://davarelohim.blogspot.com/

e veja o texto:

As 4 vozes da queda da Babilônia

P.s Caso vc se identifique com o blog, torne um seguidor.

Grato!

Danilo Fernandes disse...

Ola Sandro!

Graça e Paz!

Vim conhecer seu espaço digital. Bom posts! A internet é um espaço precioso onde podemos falar de Jesus e discutir diferentes pontos de vista!

Aproveitando, faço uma apresentação do meu blog:

Genizah é um blog cristão diferente. Hilário e divertido, mas que não dispensa a seriedade na defesa do Evangelho. Uma mistura bem balanceada de humor, denuncia e artigos devocionais. No Genizah, você fica sabendo da última novidade do absurdário "gospel", mas também não falta material para inspiração e ótimas mensagens dos melhores pregadores. Genizah é um blog não denominacional apologético, com um time é formado por escritores, pastores, humoristas e chargistas cristãos.

Aguardo sua visita. Vamos nos seguir!

Abraços em Cristo e Paz!

Danilo Fernandes

http://www.genizahvirtual.com/

Sandro Moraes disse...

Shalom! Pr. Marcelo, que honra receber seus comentários. Tenho sido abençoado e aprendido muito com seus artigos e reflexões. Que o sr. prossiga influenciando muitos, levando a palavra da verdade pela net. Abraços! e Danilo, sua inteligência e engenhosidade impressionam. É com esse talento e "irreverência"(rsrs) que você defende a sã doutrina e ajuda muitos que dormem a acordar. Abração!